quinta-feira, 2 de maio de 2013

100 rumo(s)

Caminhar é um dos exercícios mais contemplativos que pratica... A rua cheira a sol, os turistas vindos do norte da Europa apresentam vestimentas como se tivessem nas Caraíbas, aprecia-os a eles ostentanto camisas coloridas abertas, calções curtos, chapéu, e a elas de camisas de alças e de calções, ou melhor shorts que soa mais chique, mais curtos do que aqueles pijamas de Verão que usa quando o temperatura sobe. A rua parece-lhe um mundo, nada lhe é indiferente e em simultâneo não tem nada a ver com nada nem com ninguém... Mas aprecia... Gosta de observar ao invés de se limitar a olhar o que a rodeia enquanto caminha pela rua movimentada. As diferentes linguas não lhe passam despercebidas... Ouve alemão, espanhol e francês... São as únicas línguas que distingue perante a panóplia de discursos em falas diferentes daquela que é a sua. Enquanto sentada no parque da cidade banhado pela ria e se diverte ao terminar de ler as crónicas da Clarissa que feliz da vida já fez 14 anos e já tem autorização para usar sapato alto, um pombo faz a corte a uma pomba e olha-a desconfiado, como se estivesse a invadir a privacidade do casal... Nos bancos de jardim sentam-se pessoas de vida vivida a apreciar o nada, com olhos carregados de histórias com o corpo coberto de roupa pesada modelitos completamente opostos aos dos turistas com que se cruzou momentos antes.  Novamente se levanta para caminhar mais um pouco, o sol deixa-a a feliz, assim só porque sim, num país onde aparentemente as pessoas não podem ser felizes só porque sim, que soa logo a algo estranho... 
Atarantada corre para socorrer uma senhora que manda um fenomenal esbardalhanço, certifica-se que a senhora ficou bem antes de a deixar seguir caminho. 
Na ria os moliceiros passeiam-se dengosos como que seduzindo as águas e abraçando-as... Numa nova rua entra numa loja de postais para alimentar o vicio e escolher pedaços da sua terra que hão-de viajar para outras paragens... Recorda com um sorriso enorme a mensagem da Eike, alemã que certa vez lhe disse "adorei o postal, por momentos senti os raios de sol de Portugal entrarem pela janela". 
E segue... Mais um rumo, sem rumo definido... Nas ruas começa a sentir-se o cheiro de comida... Repara que tem fome mas até aquele instante ainda nem se tinha apercebido, sorri e pensa que talvez as sensações lhe estivessem a saciar o apetite até então... 
Cruza-se com pessoas, tantas pessoas nesses seus rumos sem destino definido... Repara no Setter Irlandes que um moço bem parecido passeia, encanta-se... Com o cão! Tem vontade de fazer festas ao cão e comentar com dono que também tem duas cadelas sem raça definida, que também tem um Setter Inglês cruzado com Serra da Estrela mas que teve de levar para a casa dos pais onde tem mais espaço para passear alegremente todo o seu tamanho e abanar as suas orelhas felpudas e grandes enquanto corre. Não o faz. 
Caminha no seu regresso, caminha sem rumo, um dos seus muitos rumos que não a levam a lugar algum e em simultâneo a levam ao mundo inteiro... 
Não caminha sem rumo... Caminha 100 rumos!



* Este é o post número 100, não oficialmente, é o número 70 publicado, os restantes 30 estão por aí nos rascunhos, meio sem rumo, ou pelo contrário, num dos possíveis rumos que pode passar por ficarem guardados  :)


33 comentários:

  1. Muito bonito este teu passeio à beira-ria 100 rumo :))

    As caminhadas são fascinantes, sim (apesar de preferir correr), fazem bem à saúde e essa cidade tem muitos espaços ótimos para o fazer. E toda a atividade que dscreves é igualmente relaxante.

    Beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. JP, as caminhadas são diferentes das corridas, quando caminho estou muito mais desperta para o que em rodeia :)

      Beijinhos

      Eliminar
  2. Precioso Post con este paseo tan sugerente y Hermoso.
    Abraços e beijos.

    ResponderEliminar
  3. Gosto de caminhar assim...
    Ontem caminhei por aí. Ao fim do dia e embarquei num moliceiro e comi ovos moles. :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. luisa, eu que sou uma gulosa, não gosto de ovos moles :/ É uma pena não gostar do doce tradicional de um sitio que gosto tanto, mas a verdade é que não ligo mesmo.
      A passeata de moliceiro é bem agradável :)

      Beijinhos

      Eliminar
  4. Pois eu gostei muito da tua história e desse rumar 100 rumos, mas atenta ao que a rodeia... :)

    Beijocas!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sempre atenta Teté, sempre atenta :)

      Beijocas

      Eliminar
  5. Adorei o texto :)
    E adoro também a tua cidade ;) tal como a minha também te traz grandes recordações :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Roger, a questão é que não é a "minha" cidade, é onde eu vivo agora mas a "minha" cidade não é esta :)

      Beijinhos

      Eliminar
    2. Ah não sabia, pensei que um dia te podia cravar uns ovos moles e afinal nicles eheh ;P

      Eliminar
    3. Roger, eu vivo em Aveiro, não é a "minha cidade" de origem :)

      Ovos moles? Depois do que escreveste sobre o meu Fifica ainda querias cravar ovos moles? :p <--- Brincadeira


      Ah já agora, por acaso nem gosto muito de ovos moles...

      Bom fim de semana, e que o teu Sporting fique mais perto da Liga que isso é sinal que o meu Benfica ganhou :)))

      Eliminar
  6. Parabéns :)

    Continua assim...100 espinhas! ;)

    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. francisco, "sem espinhas"? Isso é um elogio certo?

      Beijinhos :D

      Eliminar
    2. Nice :))) Bom fim de semana*

      Eliminar
  7. E que belíssimo passeio e post!!! Também me esforço por dar caminhadas, mas as minhas são sempre com rumo, aproveitando para tratar de alguma coisa a caminho ;)
    Beijinhos e volta a inscrever-te! Também não me seleccionaram para o milka, desconfio que foi seleccionado o pessoal com crianças em casa.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Gata, as minhas também são sempre com rumo :) Só que não me esforço...

      Quanto ao TRND, não sei, eu estava mesmo de olho naquelas bolachinhas/bolos não sei se aguento a desfeita, ahahah. Pois é capaz de ter sido isso, as crianças são um nicho de mercado interessante.

      Beijinhos

      Eliminar
  8. Isto é viver!!! :)
    Aveiro, cidade confortável para viver...e mesmo aqui ao lado eheheh

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sem dúvida NightDark, gosto muito... Sim Portugal também é pequenino :)

      Eliminar
  9. Que inveja!!! Poder caminhar é bom, numa cidade como Aveiro ou Figueira é do melhor! Aproveita. ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Um Rapariga Simples, sempre que posso e as condições climatéricas o permitem :)

      Eliminar
  10. Gostei muito...fizeste-me caminhar contigo...!!!
    Bjs
    Maria

    ResponderEliminar
  11. "A rua parece-lhe um mundo, nada lhe é indiferente e em simultâneo não tem nada a ver com nada nem com ninguém" É tão isso Poppy :) Também não abdico das minhas caminhadas. Tudo fica diferente. Tudo se sente de uma forma muito mais atenta e completa. Gostei de passear contigo Poppy ;)
    Um beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Helena, é como digo logo no ínicio caminhar é dos exercicios mais comtemplativos que conheço. Obrigada pelas palavras.
      Beijinhos e bom fim de semana*

      Eliminar
  12. E que lindo passeio. Adorei a descrição e sem dúvida que caminhar é muito bom, nada escapa a uma visão perspicaz. Bela cidade.
    Vou continuar a passear por aqui.
    Beijos.
    Vivi
    http//esquecimedeviver.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Vivi bem vinda, obrigada pelas palavras...

      Beijinhos

      Eliminar
  13. O texto está lindo =) Adorei essa viagem!

    ResponderEliminar
  14. Um dia cheguei nessas paragens com meu amigo Carlinho, pernambucano de gema, que se desmanchou de rir ao comtemplar em letras garrafais por cima das portas das cafetarias que a especialidade da terra eram... ovos moles.

    Cada um faz a sua contemplação pessoal. E com as contemplações alheias, como esta tua agora, Poppy, todos aprendemos uns com os outros.

    Realmente, os moliceiros são mesmo dengosos, não são?.. lol. :-)

    Beijim!
    Giuseppe
    O meu blog
    O meu facebook

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Giuseppe, por incrivel que pareça, eu devo ser das poucas "Aveirenses" que não gosta de ovos moles... É assim...

      O passeio de Moliceiro é uma delicia, aconselho vivamente!

      Beijinhos

      Eliminar
    2. Poppy, eu leio o teu blog... logo, estou careca de saber que não gostas de ovos moles. E também que não és bem de Aveiro. Não era preciso frisar mais uma vez.

      Espero que gostes ao menos da especialidade da terra onde eu vivo: a marmelada.

      Maizum jinho. ;-)
      Giuseppe

      Eliminar